quinta-feira, 15 de julho de 2010

E eu acho que gosto mesmo de você.





Convencer do contrario, eu não minto que poderia ser até fácil, porque você sabe do que eu gosto. Não me entenda mal, eu mal posso esperar você voltar pra casa. Ao invés de andar longe por aí, ao invés de nenhum lugar pra pousar, posso esperar você voltar pra casa. Você jura que você não se lamenta de nada mesmo? Isto poderia te levar de volta para baixo, mas tem algo que você disse que não pode ser desfeito: Melhor continuarmos assim e simplesmente segurar o sorriso, apaixonando e desapaixonando.

Você nunca pode dizer nunca, se apenas eu soubesse o que sei, eu faria questão de dize-lo. Será que eu realmente perdi meu caminho ou você está com medo? Você foi a música tocando ao fundo o tempo todo, mas você está aparecendo agora e todos estão ansiosos para conhecê-la, comprimentá-la. Diga quando e as minhas duas mãos irão consolá-la esta noite, diga quando e os meus dois braços irão carregá-la.

Eu estou olhando para o que foi uma parede separando Leste e Oeste, agora eles se encontram no meio da ampla luz do dia, então isso é onde você está, e isso é onde eu estou, em algum lugar entre a insegurança e cem. Tentando não perder minha cabeça eu nunca estive amedrontado antes dizer a você o que fazer ao invés disso, meu corpo deitado no chão. Mas é assim que a história acaba, ou apenas tem um começo para beijar a diferença.

Um comentário: