terça-feira, 18 de maio de 2010



Sabe... No fim, todos esperamos maturidade, sentimentos bons, tranquilidade.
Mas se fim se limita ao quesito termino de uma situação, então passamos todos os dias por amadurecimento, sentimentos bons, e tranquilidade. Esconder uma parte de nossa vida ate que nos mesmo esqueçamos, é automático defesa do cérebro... ah... Grande cérebro, aquele que nos mantém vivo, que nos estimula a vida, aquele que nos faz pensar, chorar, se lamentar.

Gosto de pensar que o nosso cérebro também nos faz sentir coisas boas mesmo não presenciando, como um vento no rosto, como se voássemos como pequenas andorinhas e planássemos os gaviões que esbanjam virilidade. Gosto de imaginar um carinho de quando se sonha com uma comida saborosa sem se preocupar com o ambiente e nem o depois, só o sabor. Sabe quando parece que o momento de leva, você sorri igual bobo, seu cérebro está ali te fazendo funcionar para não agredi-lo.

O céu nos diz muito mais do que vemos a olho nu, não por ser um artefato do mundo, maior que todos imaginam, mas pela parte que fica imóvel... Pense bem, o céu de manhã tem nuvens ele fica azul, ele agrada a todos, nas tardes eles acompanha o lamento e o cansaço ficando tom laranja, a noite para aliviar ele se veste de preto como um manto de azul marinho com estrelas que brilham e quando olhadas fixadas, elas choram em nossa direção, mas sem vergonha, e sem mostrar o desespero por não falarem, apenas tentarem nos agradar para que possamos estar lá no dia seguinte.

Um comentário:

Géssica Barros disse...

nossa, adorei aqui.
estou te seguindo!
beijos=*